Camilaferron loader
Você sabe o que é cisto epidérmico? Conheça os tratamentos!

NOTÍCIAS E
NOVIDADES

24/06/2019

Você sabe o que é cisto epidérmico? Conheça os tratamentos!

img_noticia

Sabe aquela espinha que você percebe que não é fácil de espremer? Pois bem, trago uma notícia para você: ela pode não ser uma espinha.

Trata-se do cisto epidérmico – também chamado de cisto sebáceo – que parece um carocinho, mas é um nódulo. Ele pode ser da cor da pele, ou esbranquiçado, ou até mesmo na coloração amarelada. O cisto pode aparecer sozinho, mas também é muito comum que venha acompanhado de outros cistos.

 

Se você já teve ou tem um cisto epidérmico, vai perceber que ele é mais duro do que uma espinha comum. E pode inclusive ter pus, quando inflamado. Às vezes, o cisto pode ser dolorido. Mas é um nódulo benigno, e ocorre mais comumente no rosto, no pescoço e nas costas.

 

A pergunta que não quer calar é: posso espremer um cisto epidérmico? Jamais! Se você tentar espremê-lo, pode até agravar a situação, causando inflamação. E se ele tiver mais do que 1 centímetro, até uma cirurgia pode ser necessária.

Como se forma um cisto epidérmico? Composto por uma mistura de queratina, células mortas e sebo, o cisto se forma quando essas substâncias da pele se acumulam e geram uma espécie de cápsula, e isso impede que sejam absorvidas pelo organismo. Geralmente, os cistos aparecem depois da puberdade. E, embora não haja explicação científica, os homens são mais propensos ao surgimento de cistos.

Se o nódulo não crescer demasiadamente, nem apresentar vermelhidão ou liberar secreção, pode ser considerado normal. Caso contrário, pode indicar infecção ou inflamação. Mas, afinal, por qual razão um cisto aparece na pele? Veja algumas causas para o fenômeno:

 

Danos ao folículo piloso

Todos os pelos do corpo possuem seu próprio folículo. Quando algo danifica um desses folículos, as substâncias da pele podem se acumular, formando uma cápsula – o cisto epidérmico.
 

Rompimento de glândula sebácea

A glândula sebácea pode se romper, por causa do acúmulo de sebo e outras substâncias – muito comum na acne - e isso pode originar um cisto epidérmico.

 

Lesão cutânea

O aparecimento de um cisto epidérmico também pode ser favorecido por lesões cutâneas, tipo feridas abertas.

 

Doença inflamatória

As doenças inflamatórias de pele podem causar danos ao folículo piloso e, com isso, originar cistos sebáceos.

 

Exposição solar

Queimaduras solares também podem favorecer o surgimento de cistos epidérmicos. O uso de protetor nas exposições solares é muito importante!

 

O que fazer quando há a inflamação de um cisto?

Uma inflamação surge quando o organismo reage a algo que ele não considera normal. No caso do cisto, quando ele inflama, aparecem sintomas como dor, coceira, vermelhidão, inchaço e às vezes eliminação de secreção amarelada e fétida.

 

Não deixe de procurar um médico dermatologista, pois em alguns casos é necessário é necessário uso de antibiótico e drenagem da secreção.

 

Tratamentos para cisto epidérmico

Conheça alguns tratamentos para os cistos:
 

Injeção de corticosteroides

São substâncias que agem como os hormônios antiinflamatórios do nosso próprio organismo. É eficaz para reduzir o inchaço, a dor e a vermelhidão.

 

Excisão total

No procedimento de excisão total, o cisto é completamente removido, incluindo sua cápsula. Mas não pode ser feito quando há inflamação. Nesse caso, pode ser necessário o uso de corticosteróides, e assim que a inflamação estiver sob controle, realiza-se a excisão total do cisto.

 

Excisão com cicatriz mínima

Neste procedimento, o dermatologista realiza uma incisão e drena o conteúdo do cisto. Então, puxa a cápsula, através de um pequeno corte com cicatriz mínima.

 

Gostou de nossas dicas? Para qualquer dúvida ou esclarecimento, envie um e-mail para: camilaferrondermato@gmail.com